Destaques

‘The Legend of Zelda: Breath of the Wild’ centra atenções no primeiro dia da E3

A presença da Nintendo na feira de videojogos E3, em Los Angeles, arrancou com a primeira sessão de jogo de The Legend of Zelda: Breath of the Wild, assim como de Pokémon Sun e Pokémon Moon. A Nintendo Treehouse: Live dedicou o resto da transmissão do dia a conteúdos adicionais de The Legend of Zelda: Breath of the Wild. A demo exibida na E3 representa apenas uma fração do jogo completo mas, para além da longevidade desta versão de demonstração, está a profundidade da experiência proporcionada, que vai muito para lá do mapa do jogo. Mesmo com um dia cheio de demos, a Nintendo conseguiu apenas demonstrar um pouco desta impressionante aventura.

  • Shrines of Trials: São mais de 100 e estarão espalhados pelo mundo à espera de serem encontrados pelos jogadores, sendo que em alguns casos, encontrar estes Shrines será, por si só, um quebra-cabeças. Consequentemente, os Shrines oferecerão desafios mais compactos que poderão ser resolvidos através de uma variedade de formas. Para ganharem uma Spirit Orb dos monges que conceberam estes desafios, os jogadores terão de superar desafios ou resolver quebra-cabeças.
  • Runes: Ao explorarem os Shrines, os jogadores poderão ganhar Runes: a Magnesis Rune, por exemplo, poderá ajudar o Link a elevar e a arremessar objetos de metal; já a Remote Bomb contará com dois tipos de bombas diferentes – esféricas rolantes e cúbicas imóveis; a Stasis Rune será capaz de congelar brevemente objetos móveis, ao passo que a Cryonis Rune congelará água e fará aparecer um pilar de gelo.
  • Armas e combate: O jogo oferecerá uma grande variedade de armas, muitas das quais novas na série. Os jogadores terão de encontrar armas ou apoderar-se das dos inimigos, tendo em conta que estas se desgastarão à medida que forem usadas. Ademais, será possível programar manobras ofensivas e defensivas para abrandar o tempo e ligar-se a uma série de ataques contra os seus adversários.
  • Alimentação: Outra rutura na jogabilidade convencional da série será a impossibilidade de encher os corações ou ganhar rupees ao cortar relva. O Link será capaz de procurar uma multiplicidade de alimentos no seu ambiente, incluindo maçãs e cogumelos, além de que poderá, ainda, caçar comida. O consumo de alimentos crus dar-lhe-á um aumento modesto de saúde, já cozinhar diferentes tipos de ingredientes em conjunto resultará em pratos com efeitos diferentes, como resistência temporária ao quente ou ao frio.
  • Clima: Uma vez que no jogo haverá tanto áreas cobertas de neve como desertos escaldantes, o Link terá de vestir-se de acordo com as condições meteorológicas. Se precisar de se manter quente, poderá envergar roupas apropriadas, acender uma tocha ou até comer para manter a sua temperatura corporal e a sua saúde. O Link terá também de ter cuidado durante as tempestades, pois se se fizer acompanhar de equipamento de metal, poderá atrair raios mortíferos.
  • Compatibilidade com os acessórios amiibo: Para além de uma nova série de figuras amiibo específicas, foi anunciada a forma como o amiibo Link Lobo de The Legend of Zelda: Twilight Princess HD será utilizado neste jogo. Quando introduzido nesta nova aventura, o Link Lobo juntar-se-á ao Link para atacar inimigos sozinho. Inicialmente contará com três corações, mas os jogadores poderão obter mais concluindo a Cave of Shadows e transportando os dados de The Legend of Zelda: Twilight Princess HD. O Link Lobo poderá ser convocado uma vez por dia e desaparecerá quando os seus corações se esgotarem, sendo possível utilizá-lo de novo no dia seguinte.

The Legend of Zelda: Breath of the Wild será lançado em simultâneo para a Wii U e a próxima consola da Nintendo – cujo nome de código é NX – em 2017.

Deixe uma resposta

Scroll to top