Destaques

Especial E3 2018

A E3 é um dos grandes momentos do ano para a indústria dos videojogos. E se andas a vaguear para internet à procura dos melhores trailers e novidades, não precisas de perder mais tempo! Este artigo foi actualizado ao minuto! 🏆

Algumas notas sobre a E3 pelos nossos editores:

Marisa Almeida

E assim acaba mais uma E3, com muitas surpresas, com grandes e pequenos títulos alguns envolvidos em algum drama.
A mim o que mais me chamou a atenção foram pequenos títulos como “Night Call” um jogo Noir onde tentamos desmascarar um assassino através das viagens no nosso táxi, “Morning Star” também me despertou algum interesse, um pós apocalíptico farming sim e “The Awesome Adventures of Captain Spirit” um género de prelude para “Life is Strange 2”.
Mas para mim o jogo que mais espero esta mesmo no virar da esquina, “Overcooked 2” da Team17, talvez porque seja um pouco masoquista, talvez porque gosto de por as minhas amizades em teste, mas há algo extremamente cativante neste jogo, agora finalmente com Online multiplayer. Como já disse a uns amigos, eu até já imagino o que vai acontecer, um em pânico, outro aos berros, o que não para de rir de tal maneira que não se mexe, e eu a tentar acalmar toda a gente a ver se chegamos a algum lado.

Seja qual for a preferência acho que temos uma linha fantástica de jogos para sair, uns bem próximos outros que temos de esperar mais algum tempo. A verdade é, 2019 vai ser um excelente ano para os jogos.

Gonçalo Béjinha

Na minha opinião, Day’s Gone e The Last Of US II são de longe os melhores jogos destacados na E3, porém existem outros títulos que dão que falar, como por exemplo Death Stranding, que neste caso já foi possível ver um pequeno gameplay. Por outro lado, muitos dos jogos mostrados apenas revelaram maravilhosas cut-scenes, o que por um lado nos maravilham, com a magnifica qualidade gráfica, mas por outro lado, nos deixam com um pé atrás pois “podem” ter de sofrer um downgrade.

Em jogos de FPS destacam-se pela positiva Rage 2 e Insurgency: Sandstorm, devido aos bons gráficos e mundo aberto, no entanto temos jogos de elite, dominadores do mercado, tal como Call Of Duty Black Ops 4 ou BattleField 5.

Dreams ganha o prémio de originalidade/criatividade. Transference pareceu-me ser o melhor jogo anunciado para o sistema VR, mas Beat Saber também se evidencia bastante pelas suas cores, bastante animado e desafiante, fazendo lembrar Guitar Hero.

O género de luta também não fica a perder em 2018, a contar com alguns pesos pesados, tais como: Solucalibur, Dead or Alive 6, Jump Force 3 (Naruto, Dragon Ball e Luffi).

Ghost of Tsushima também impressionou pela positiva, com um ambiente a fazer lembrar NIOH (atenção que vai sair NIOH 2, anunciado na E3 2018), com uma narrativa a falar sobre samurais.

Temos alguns jogos a apostar no ambiente retro. Depois de analisados grande parte dos trailers pode dizer-se que a Playstation continua a distanciar-se em relação à concorrência, com jogos exclusivos de excelência.
Por sua vez, a Xbox apresenta um título que faz prender a atenção: SekiroTM: Shadow Die Twice.
No que toca à Nintendo, a saga “Super Mario” continua a sobressair em relação a outros jogos destas plataforma.
Em suma, há jogos para todos os géneros, tal como nós gostamos… ficamos a aguardar os resultados finais, pois cá estaremos para os testar. 😉

José Machado dos Santos

Tenho que começar por dizer que não subscrevo a comum ideia de que alguma companhia “vença” a E3, até quase diria que não há boas e más conferências. Para o público geral, que é a maior parte do mercado, é indiferente se uma apresentação que nem viu, foi visualmente cativante, se teve momentos mortos ou cenas causadoras de vergonha alheia. Na grande escala das coisas, nenhuma das companhias perde ou vence grande coisa por gerar aquilo que é a base da E3: Hype. Posto isto, e adotando o tom subjetivo que o assunto requer, aqui fica o que pessoalmente me cativou a atenção.

A EA, tal como no ano passado, onde de entre shooters e títulos de desporto apenas se destacou “A Way Out”, este ano sobressaíram novamente outras pérolas provenientes do programa de apoio a indies:EA access”. Unravel 2 e Sea of Solitude são duas apostas que certamente parecem merecer o apoio da companhia.

A Microsoft fez o habitual. Para além de algumas pequenas surpresas, anunciou sequelas para as suas franquias principais e encheu o seu tempo de antena com outros títulos multiplataformas. Mas para mim o mais importante: tenciona corrigir este problema no futuro, e anunciou a compra de 5 estúdios que criarão mais exclusivos que a plataforma tanto precisa.

À Bethesda deixo o elogio da estratégia de anunciar planos futuros. Apesar de terem sido criticados por mostrar apenas logotipos de Starfield e TES: VI em fundos vagos, assim ficam marcados no nosso calendário para um futuro distante, e termina a infindável especulação que retira a atenção a outros jogos da editora.

Passando à frente a curta e modesta exibição da Square Enix, destaco as apresentações de Beyond Good and Evil 2 e Assassin’s Creed: Odyssey da Ubisoft. Skull and Bones terá que mostrar que é mais do que um simulador de batalhas marítimas para convencer.

Mas se houve alguma companhia que me trouxe o verdadeiro hype da E3, terá que ser a Sony, que apesar da estranha decisão de interromper a conferência para trocar todo o público de sala, finalizou a apresentação com uma série de trailers para jogos que já não são novidade, mas que deixam água na boca. The Last of Us 2, Ghost of Tsushima e Spiderman destacam-se com demonstrações perfeitas.

A Nintendo decidiu torturar mais um pouco os fãs de Pokémon com mais imagens da “PokemonGoização” de Let’s Go Eevee/Pikachu e dedicar a maior parte do Direct em minúncias sobre cada personagem de SmashBros. Lembram-se do que eu disse no início sobre não haverem más apresentações da E3? Esqueçam.

 

 

 

Pedro Moreira

Opinião da E3: Foi uma feira morna, sem grandes surpresas, tanto a nível de jogos como de hardware, como de resto acontece sempre que não há revelações de novas consolas. Nos videojogos também não houve grandes surpresas, mas ficou na memória o trailer de Cyberpunk 2077. Esperemos que a CD Project Red corresponda às espectativas e que nos traga um RPG com, pelo menos, a qualidade do seu Witcher 3, o que já seria excelente.

Trailers e Outros Conteúdos

Listagem dos principais trailers e conteúdos especiais (a começar, claro, com Portugal)!

Filmmaker, Writer, Champion Gamer, Part-Time Comedian, Aspirant Avenger CrossFitter and Otorhinolaryngologist
Scroll to top