What’s Popular

Passatempo Antestreia – Peppermint

O  8.5Bits e a Cinemundo têm para te oferecer a possibilidade de assistires à antestreia do filme ‘Peppermint‘.

Peppermint é um thriller de ação que conta a história de uma jovem mãe, Riley North (Jennifer Garner), que acorda de um coma após o assassinato do seu marido e filha num brutal ataque à sua família.

Quando o sistema, de forma frustrante, protege os assassinos da justiça, Riley transforma-se numa verdadeira guerrilheira urbana. Canalizando a sua frustração em motivação pessoal, ele passa anos escondida treinando a sua mente e corpo para ser uma força imparável – engando o submundo, a polícia e o FBI à medida que, de forma metódica, aplica a sua forma muito pessoal de justiça.

Realizador: Pierre Morel
Titulo Original: Peppermint
Elenco: Jennifer Garner, JohnOrtiz, John Gallagher Jr

Temos 40 convites para a antestreia:

20 convites duplos
Lisboa – Cinema UCI, El Corte Inglés – Dia 25 de Setembro, às 21:30h

20 convites duplos
Porto – Cinema UCI, Arrábida Shopping – Dia 25 de Setembro, às 21:30h

Podes participar até às 13h de dia 24 de Setembro.

Para participares só tens de
-Preencher o formulário abaixo
-Partilhar publicamente esta publicação:

-Fazeres like à página do 8.5Bits (caso não o tenhas feito antes)

Verifica as regras do passatempo aqui: http://8dot5bits.com/regulamentos/

NO CINEMA A 27 DE SETEMBRO

O envio da listagem de vencedores para os cinemas é da responsabilidade do distribuidor do filme sendo o 8.5Bits apenas promotor do passatempo. 
Em situações extraordinárias, os vencedores poderão contactar-nos via mensagem privada no Facebook.

Passatempo Antestreia – Agora Estamos Sozinhos

8.5Bits e a NOS Audiovisuais têm para te oferecer a possibilidade de assistires à antestreia do filme ‘Agora Estamos Sozinhos‘.

Del (Peter Dinklage) está sozinho no mundo. Depois da raça humana ter sido destruída, ele vive numa pequena e vazia cidade, satisfeito, na sua solidão, e com a utopia que metodicamente criou para si mesmo.

Assim é até que Del é descoberto por Grace (Elle Fanning), uma estranha com motivos e um passado obscuro. E o pior de tudo é que ela não se quer ir embora.

Realizador: Reed Morano
Elenco: Peter Dinklage, Elle Fanning, Charlotte Gainsbourg

Temos 20 convites para a antestreia:

10 convites duplos
Lisboa –Cinema NOS, Amoreiras – Dia 25 de  Setembro, às 21:30h

10 convites duplos
Porto –Cinema NOS, Alameda Shop & Spot– Dia 25 de  Setembro, às 21:30h

Podes participar até às 12h de dia 24 de Setembro.

Para participares só tens de
-Preencher o formulário abaixo
-Partilhar publicamente esta publicação:

-Fazeres like à página do 8.5Bits (caso não o tenhas feito antes)

Verifica as regras do passatempo aqui: http://8dot5bits.com/regulamentos/

NOS CINEMAS A 20 DE SETEMBRO

O envio da listagem de vencedores para os cinemas é da responsabilidade do distribuidor do filme sendo o 8.5Bits apenas promotor do passatempo. 
Em situações extraordinárias, os vencedores poderão contactar-nos via mensagem privada no Facebook.

Análise a ‘Insatiable’

Estamos no século vinte e um, e o tema do corpo da mulher está na boca do mundo. Cada vez mais encontramos filmes e séries que relatem e falem acerca daquilo que são as inseguranças de uma mulher e do seu corpo. E a série Insatiable não foge à exceção.

Estreada em agosto de 2018, a série do Netflix Insatiable, criada por Laura Gussis, tenta abordar este tema na forma de humor negro. O enredo desta história de 12 episódios, baseia-se na nossa personagem principal, Patty Bladell; uma rapariga adolescente obesa, que sofre muito bullying por parte dos colegas por ser gorda. No entanto, um dia leva um murro de um sem abrigo, que lhe parte o maxilar. Patty, passa o verão inteiro a beber líquidos enquanto o maxilar recupera, e desta forma emagrece e promete vingar-se de todos aqueles que alguma vez lhe fizeram mal unindo-se ao seu advogado Bob que promete fazer dela a vencedora de concursos de beleza.

A série em si, acaba por fugir muito ao tema do corpo. Ao contrário do que muita gente entende pelo trailer, o objetivo por parte da criadora é de criar uma série que faça as pessoas rir, independentemente dos temas que sejam mencionados serem temas sérios. Todavia, a receção da mesma não foi a melhor. A série criou muita controvérsia por parte de mulheres pelo mundo inteiro, especialmente nos Estados Unidos da América. Muitas criticaram a realizadora e a atriz que passa por Patty Bladell, Debby Rian, ao verem o trailer. Dizendo que não é correto em 2018 ainda afirmar que a única forma de uma mulher ser bem-sucedida, ou neste caso uma rapariga na sua juventude, é perder peso. E mais que isso, foi criticada pela personagem principal procurar vingança em vez de tentar sentir-se bem consigo própria e passar uma imagem positiva à audiência. Inclusive criou-se uma petição online onde mais de 100.000 mil pessoas teriam assinado para que a série fosse cancelada por ser uma série de fat-shaming (um termo muito usado hoje em dia para a ação de humilhar alguém por ser gordo, ou por fazer bullying a uma pessoa com excesso de peso; tendo como intenção fazer entender as pessoas que não é por alguém ser mais gordo que deixa de ser bonito/a ou inteligente). Em resposta, a criadora escreveu um tweet a explicar que também foi uma criança que sofreu muito pelo o seu peso, e que o objetivo é explicar os prejuízos que o bullying pode ter através da comédia.

Particularmente, entendo onde a criadora quis chegar com a série. Mas acaba por ter um guião muito oco e vazio. Mesmo quando uma pessoa pode ou não rir, nenhum episódio é 100% cómico ou tem uma linha de sentido que é percorrida do início ao fim. A série acaba por se perder pelo meio e parece que a história muda totalmente a partir de um dos episódios do fim. Não tem ligações entre os episódios e por consequente, tem muitas falhas. Não só não explora tão bem quanto podia o tema do peso; mas também perde uma grande oportunidade de pegar num tema importante, quando no início da série tem homens que independentemente de gostarem de concursos de belezas seriam heterossexuais, mas para o final da série, e spoiler alert, tinham de terminar a serem gays. O que foi uma grande deceção.  Não pelo o facto de serem gays, não me interpretem mal, mas sim porque mostra mais uma vez que um homem para ser “homem” não pode gostar de “coisas de mulher” e tem de ser sempre “másculo” nos padrões da sociedade. Sendo que a criadora poderia ter utilizado um bom exemplo como os homens podem apoiar as mulheres a fazerem-se sentir seguras de si mesma por eles mesmos estarem seguros da sua masculinidade.   A verdade é que poderia ter sido uma grande série, com boas mensagens ou com uma boa comédia, mas ficou muito há quem. A criadora não soube explorar os temas de transtornos alimentares ou a comunidade lgbtq+ quando tinha tudo para o conseguir fazer! Procurou muito falar de todos os temas que são polémicos nos dias de hoje, mas falhou completamente em qualquer um deles, porque se dispersou. Nem em termos de comédia a série conseguiu ser sádica.

Debaixo do Radar

Uma das minhas ocupações preferidas é descobrir pequenos jogos indie que nos meus olhos se podem transformar em pequenas pérolas. Bem-vindos a debaixo do radar.

 

A Semana passada deparei-me com um jogo chamado “Second Second” talvez seja um nome estranho mas ate fica debaixo da língua, feito por um estúdio recente (Sinkhole Studio).

A arte rapidamente cativou-me, aliás, acho que esse é sempre o primeiro passo para algo me chamar a atenção, não tem de ter bons gráficos, basta esta ser limpa e interessante.

A história é meramente introduzida no trailer, coisa básica de vamos salvar o mundo, mas a jogabilidade interessou-me, talvez seja suspeita porque sempre tive um fraquinho por jogos com cartas, mas este soa diferente, ao contrário de os demais o fator sorte não existe, não temos um baralho onde vamos biscar as cartas, esta tudo a nossa disposição conforme construímos. O sistema de tempo é interessante, ao que parece o tempo passa conforme as nossas jogadas, as cartas custam tempo para jogar, então acaba tudo por ser um jogo muito mais estratégico.

Com data anunciada para Outubro de 2018 no Steam (pagina ainda não existente) Second Second parece-me ainda ter alguns obstáculos pela frente, principalmente no que toca em animações, mas tem muito por onde brilhar.

 

www.playsecondsecond.com

 

 

“Project Winter” foi outro jogo que me captou a atenção recentemente, ao que me parece baseia-se em muitos jogos de tabuleiro onde temos os “bons”, e os “maus” tentam sabotar os outros.

O que destaca o “Project Winter” é ele aparentemente faze-lo num mundo aberto, com pequenos objetivos para orientar-te no teu papel. Talvez o melhor ponto de comparação para mim será o mundo de “Dont Starve Together” exceto que o teu amigo provavelmente te esta a tentar matar.

Este jogo ainda sem data anunciada parece estar ainda numa fase bastante embrionária, mas com todas as ferramentas para ser um grande jogo.

 

www.projectwinter.co

 

 

Editor's Choice

Passatempo Antestreia – Peppermint

O  8.5Bits e a Cinemundo têm para te oferecer a possibilidade de assistires à antestreia do filme ‘Peppermint‘.

Peppermint é um thriller de ação que conta a história de uma jovem mãe, Riley North (Jennifer Garner), que acorda de um coma após o assassinato do seu marido e filha num brutal ataque à sua família.

Quando o sistema, de forma frustrante, protege os assassinos da justiça, Riley transforma-se numa verdadeira guerrilheira urbana. Canalizando a sua frustração em motivação pessoal, ele passa anos escondida treinando a sua mente e corpo para ser uma força imparável – engando o submundo, a polícia e o FBI à medida que, de forma metódica, aplica a sua forma muito pessoal de justiça.

Realizador: Pierre Morel
Titulo Original: Peppermint
Elenco: Jennifer Garner, JohnOrtiz, John Gallagher Jr

Temos 40 convites para a antestreia:

20 convites duplos
Lisboa – Cinema UCI, El Corte Inglés – Dia 25 de Setembro, às 21:30h

20 convites duplos
Porto – Cinema UCI, Arrábida Shopping – Dia 25 de Setembro, às 21:30h

Podes participar até às 13h de dia 24 de Setembro.

Para participares só tens de
-Preencher o formulário abaixo
-Partilhar publicamente esta publicação:

-Fazeres like à página do 8.5Bits (caso não o tenhas feito antes)

Verifica as regras do passatempo aqui: http://8dot5bits.com/regulamentos/

NO CINEMA A 27 DE SETEMBRO

O envio da listagem de vencedores para os cinemas é da responsabilidade do distribuidor do filme sendo o 8.5Bits apenas promotor do passatempo. 
Em situações extraordinárias, os vencedores poderão contactar-nos via mensagem privada no Facebook.

Passatempo Antestreia – Agora Estamos Sozinhos

8.5Bits e a NOS Audiovisuais têm para te oferecer a possibilidade de assistires à antestreia do filme ‘Agora Estamos Sozinhos‘.

Del (Peter Dinklage) está sozinho no mundo. Depois da raça humana ter sido destruída, ele vive numa pequena e vazia cidade, satisfeito, na sua solidão, e com a utopia que metodicamente criou para si mesmo.

Assim é até que Del é descoberto por Grace (Elle Fanning), uma estranha com motivos e um passado obscuro. E o pior de tudo é que ela não se quer ir embora.

Realizador: Reed Morano
Elenco: Peter Dinklage, Elle Fanning, Charlotte Gainsbourg

Temos 20 convites para a antestreia:

10 convites duplos
Lisboa –Cinema NOS, Amoreiras – Dia 25 de  Setembro, às 21:30h

10 convites duplos
Porto –Cinema NOS, Alameda Shop & Spot– Dia 25 de  Setembro, às 21:30h

Podes participar até às 12h de dia 24 de Setembro.

Para participares só tens de
-Preencher o formulário abaixo
-Partilhar publicamente esta publicação:

-Fazeres like à página do 8.5Bits (caso não o tenhas feito antes)

Verifica as regras do passatempo aqui: http://8dot5bits.com/regulamentos/

NOS CINEMAS A 20 DE SETEMBRO

O envio da listagem de vencedores para os cinemas é da responsabilidade do distribuidor do filme sendo o 8.5Bits apenas promotor do passatempo. 
Em situações extraordinárias, os vencedores poderão contactar-nos via mensagem privada no Facebook.

Análise a ‘Insatiable’

Estamos no século vinte e um, e o tema do corpo da mulher está na boca do mundo. Cada vez mais encontramos filmes e séries que relatem e falem acerca daquilo que são as inseguranças de uma mulher e do seu corpo. E a série Insatiable não foge à exceção.

Estreada em agosto de 2018, a série do Netflix Insatiable, criada por Laura Gussis, tenta abordar este tema na forma de humor negro. O enredo desta história de 12 episódios, baseia-se na nossa personagem principal, Patty Bladell; uma rapariga adolescente obesa, que sofre muito bullying por parte dos colegas por ser gorda. No entanto, um dia leva um murro de um sem abrigo, que lhe parte o maxilar. Patty, passa o verão inteiro a beber líquidos enquanto o maxilar recupera, e desta forma emagrece e promete vingar-se de todos aqueles que alguma vez lhe fizeram mal unindo-se ao seu advogado Bob que promete fazer dela a vencedora de concursos de beleza.

A série em si, acaba por fugir muito ao tema do corpo. Ao contrário do que muita gente entende pelo trailer, o objetivo por parte da criadora é de criar uma série que faça as pessoas rir, independentemente dos temas que sejam mencionados serem temas sérios. Todavia, a receção da mesma não foi a melhor. A série criou muita controvérsia por parte de mulheres pelo mundo inteiro, especialmente nos Estados Unidos da América. Muitas criticaram a realizadora e a atriz que passa por Patty Bladell, Debby Rian, ao verem o trailer. Dizendo que não é correto em 2018 ainda afirmar que a única forma de uma mulher ser bem-sucedida, ou neste caso uma rapariga na sua juventude, é perder peso. E mais que isso, foi criticada pela personagem principal procurar vingança em vez de tentar sentir-se bem consigo própria e passar uma imagem positiva à audiência. Inclusive criou-se uma petição online onde mais de 100.000 mil pessoas teriam assinado para que a série fosse cancelada por ser uma série de fat-shaming (um termo muito usado hoje em dia para a ação de humilhar alguém por ser gordo, ou por fazer bullying a uma pessoa com excesso de peso; tendo como intenção fazer entender as pessoas que não é por alguém ser mais gordo que deixa de ser bonito/a ou inteligente). Em resposta, a criadora escreveu um tweet a explicar que também foi uma criança que sofreu muito pelo o seu peso, e que o objetivo é explicar os prejuízos que o bullying pode ter através da comédia.

Particularmente, entendo onde a criadora quis chegar com a série. Mas acaba por ter um guião muito oco e vazio. Mesmo quando uma pessoa pode ou não rir, nenhum episódio é 100% cómico ou tem uma linha de sentido que é percorrida do início ao fim. A série acaba por se perder pelo meio e parece que a história muda totalmente a partir de um dos episódios do fim. Não tem ligações entre os episódios e por consequente, tem muitas falhas. Não só não explora tão bem quanto podia o tema do peso; mas também perde uma grande oportunidade de pegar num tema importante, quando no início da série tem homens que independentemente de gostarem de concursos de belezas seriam heterossexuais, mas para o final da série, e spoiler alert, tinham de terminar a serem gays. O que foi uma grande deceção.  Não pelo o facto de serem gays, não me interpretem mal, mas sim porque mostra mais uma vez que um homem para ser “homem” não pode gostar de “coisas de mulher” e tem de ser sempre “másculo” nos padrões da sociedade. Sendo que a criadora poderia ter utilizado um bom exemplo como os homens podem apoiar as mulheres a fazerem-se sentir seguras de si mesma por eles mesmos estarem seguros da sua masculinidade.   A verdade é que poderia ter sido uma grande série, com boas mensagens ou com uma boa comédia, mas ficou muito há quem. A criadora não soube explorar os temas de transtornos alimentares ou a comunidade lgbtq+ quando tinha tudo para o conseguir fazer! Procurou muito falar de todos os temas que são polémicos nos dias de hoje, mas falhou completamente em qualquer um deles, porque se dispersou. Nem em termos de comédia a série conseguiu ser sádica.

Debaixo do Radar

Uma das minhas ocupações preferidas é descobrir pequenos jogos indie que nos meus olhos se podem transformar em pequenas pérolas. Bem-vindos a debaixo do radar.

 

A Semana passada deparei-me com um jogo chamado “Second Second” talvez seja um nome estranho mas ate fica debaixo da língua, feito por um estúdio recente (Sinkhole Studio).

A arte rapidamente cativou-me, aliás, acho que esse é sempre o primeiro passo para algo me chamar a atenção, não tem de ter bons gráficos, basta esta ser limpa e interessante.

A história é meramente introduzida no trailer, coisa básica de vamos salvar o mundo, mas a jogabilidade interessou-me, talvez seja suspeita porque sempre tive um fraquinho por jogos com cartas, mas este soa diferente, ao contrário de os demais o fator sorte não existe, não temos um baralho onde vamos biscar as cartas, esta tudo a nossa disposição conforme construímos. O sistema de tempo é interessante, ao que parece o tempo passa conforme as nossas jogadas, as cartas custam tempo para jogar, então acaba tudo por ser um jogo muito mais estratégico.

Com data anunciada para Outubro de 2018 no Steam (pagina ainda não existente) Second Second parece-me ainda ter alguns obstáculos pela frente, principalmente no que toca em animações, mas tem muito por onde brilhar.

 

www.playsecondsecond.com

 

 

“Project Winter” foi outro jogo que me captou a atenção recentemente, ao que me parece baseia-se em muitos jogos de tabuleiro onde temos os “bons”, e os “maus” tentam sabotar os outros.

O que destaca o “Project Winter” é ele aparentemente faze-lo num mundo aberto, com pequenos objetivos para orientar-te no teu papel. Talvez o melhor ponto de comparação para mim será o mundo de “Dont Starve Together” exceto que o teu amigo provavelmente te esta a tentar matar.

Este jogo ainda sem data anunciada parece estar ainda numa fase bastante embrionária, mas com todas as ferramentas para ser um grande jogo.

 

www.projectwinter.co

 

 

Scroll to top