‘Last Flag Flying’ – Análise ao Filme

User Rating: 6.5

Depois de Everybody Wants Some!!, Linklater está de volta à cadeira de realizador. E desta vez não escreveu um filme puramente cómico: Last Flag Flying conta a história de três ex-soldados da guerra do Vietname que se voltam a reunir aquando o enterro de o filho de um deles. Ainda que o tema da mortalidade seja abordado em grande parte dos seus filmes, de uma ou outra forma, é neste que ganha um peso de outra dimensão. Depois de uma comédia sobre amigos de faculdade nos anos 70, é natural (e bem-vindo) que Linklater tenha querido desviar-se desse ambiente com este filme.

Steve Carell, Bryan Cranston, e Laurence Fishburne têm óptimas interpretações e nem por um momento sentimos que as suas palavras são mentira, que não se conhecem há anos ou que não existe uma ligação profunda entre todos eles; a relação de amizade é bem construída entre cada uma das personagens. Contudo, apesar de as personagens estarem bem trabalhadas, Last Flag Flying não é um filme que vá perdurar na cabeça do espectador durante muito tempo, como outros filmes do cineasta, uma vez que o ambiente é confortável e sólido, sim, mas não é irreverente o suficiente para nos agarrar durante muitos anos. É comovente sem ser pesado, humano sem ser desafiante.

Linklater é um mestre no que toca a escrever relações humanas, conseguindo sempre encontrar uma dinâmica confortável, divertida e interessante de ver. Sendo Before Sunrise (e consequentes sequelas) a sua obra mais conhecida e também a mais importante do ponto de vista cinematográfico e narrativo, Last Flag Flying mostra um Linklater mais contido. Ainda que, em traços gerais, mantenha alguma da frescura que os seus diálogos (e histórias) sempre transpareceram, falta-lhe a originalidade de outrora, aquilo que fazia com que os seus filmes se destacassem no meio de tantos outros.

Last Flag Flying é um filme quente e amistoso com um argumento sólido o suficiente para nos embrenharmos nele por duas horas. No entanto, é impossível não vermos o filme como se fosse um exercício menos imaginativo e fora-das-regras que alguns doutros filmes da sua filmografia. As performances são convincentes e a história tem um lado humano interessante, mas não é um filme no qual vamos pensar daqui a muitos anos, como acontece com Before Sunrise.

6.5
OK
Escrito Por
Com a escrita e a música em plano de fundo desde pequeno, e sendo licenciado em Argumento pela ESTC e autodidata musical por natureza, ambiciona escrever filmes, séries, e compôr música para cinema.

Deixa o teu Comentário

Recuperar a Password

Escreve o teu nome de utilizador ou e-mail. Vais receber um link para criares uma nova password na tua caixa de correio electrónico.

Registar

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.