Cinema / TV Destaques

‘Smurfs: The Lost Village’ – Análise ao Filme

Smurfs: The Lost Village, em primeiro lugar, não é bom filme. Quando digo que não é um bom filme, no entanto, não digo que seja uma obra que deveria ser proibida de ser exibida em qualquer parte do mundo. The Lost Village tem um público claro: crianças pequenas. Muito pequenas mesmo. Que estejam naquela idade em que retém poucas memórias, de preferência. O filme entretém apenas e só porque são bonecos azuis a andar de um lado para o outro. E isso vai ter sempre graça para crianças pequenas.

Não há nada inerentemente errado com filmes destinados para essa tenra faixa etária, o problema é que é possível criar algo mais imaginativo, mais desafiante, mas aqui tudo é fabricado de coisas que já foram feitas, fazendo com que todo o método seja incrivelmente preguiçoso. O filme segue, passo por passo, a conhecida fórmula de filmes para crianças pequenas. Há danças, piadas que não têm graça para pessoas com mais seis anos, sequências de ação irrelevantes para a história… há de tudo. O único propósito deste reboot prece ser o de manter estas personagens vivas o suficiente para que sequelas futuras sejam possíveis.

Não há muito que se possa dizer sobre este filme. Não vai ser um sucesso de bilheteira, mas irá cumprir a sua clara missão: levar famílias à sala de cinema, na esperança de que os miúdos se possam divertir e não fazer muito barulho durante uma hora e meia. É esse tipo de entretenimento. Para além do filme ser tão previsível, as músicas pop são colocadas aqui e ali só para que possam criar um álbum da banda sonora do filme e que, se tudo correr bem, os pais dessas crianças irão comprar. O estúdio deste filme está mais preocupado com isso do que com o filme em si; olhando para a Pixar, é perfeitamente possível fazer coisas imaginativas e que os mais novos adorem… The Lost Village não é o caso.

Este é um filme com um público-alvo bastante bem definido; os miúdos mais novos vão gostar do filme, no entanto, dificilmente outra pessoa fora dessa faixa etária irá tirar algum proveito destes noventa minutos de bonecos azuis.

Pedro Gomes é Editor de Cinema no 8.5Bits | pedrogomes@8dot5bits.com

Com a escrita e a música em plano de fundo desde pequeno, e sendo licenciado em Argumento pela ESTC e autodidata musical por natureza, ambiciona escrever filmes, séries, e compôr música para cinema.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Scroll to top