9.2
Muito Bom
Videojogos

Teste a ‘Astro Bot: Rescue Mission’

Lembram-se dos pequenos robôs que vivem dentro do comando da PS4? Sim, aqueles que já encontrámos no The Playroom, que acompanha a câmara da PS4, ou no The Playroom VR, que vem com o PSVR? Pois bem, ganharam o direito de protagonizar um jogo completo, não apenas pequenas tech demos. E que jogo…

Pode parecer uma comparação ousada, mas Astro Bot: Rescue Mission está para os jogos em Realidade Virtual como Super Mario 64 esteve, na sua época, para os jogos em três dimensões. Se o canalizador italiano revolucionou a forma como jogamos até aos dias de hoje aos jogos de plataformas, e dos jogos tridimensionais em geral, Astro Bot estabelece um novo patamar em relação ao género de plataformas e à forma como interagimos com os cenários em Realidade Virtual. De resto, basta começar a jogar a Astro Bot para que imediatamente reconheçamos inúmeros elementos com clara inspiração nos jogos da estrela da Nintendo: as moedas que apanhamos, os cenários coloridos, a música, os movimentos do nosso pequeno robot espacial, dão-nos a gratificante sensação de estarmos a jogar a algo que nos surpreende a cada momento. Astro Bot: Rescue Mission não pretende inventar a roda, mas a forma como interagimos com ele é invadora: desde termos que olhar para o alto ou para um poço, ao termos que nos virar completamente para trás, sermos obrigados a derrubar obstáculos à cabeçada, ou ainda a usar o controlo de toque do Dualshock 4 para lançar um arpão, tudo nos faz crer que estamos dentro de um mundo de fantasia a ajudar uma adorável criatura mecânica a salvar os seus amigos. Nada parece ser feito ao acaso, pois o PSVR não é usado aqui apenas para se poder dizer que o jogo é em VR, como vem sendo recorrente no mercado, mas o VR faz parte dos elementos que compõem a jogabilidade: não apenas podemos olhar para baixo, temos de o fazer, para procurar passagens ou robôs para salvar; por diversas vezes, ficamos com a visão obstruída por ação de inimigos que tentam cegar-nos, aproveitando a nossa percepção de tridimensionalidade, ou vemos o nosso ecrã rechado pelo ataque de um oponente. Enfim, são tantos e tão deliciosos pequenos detalhes que nos fascinam a cada momento, que não podemos parar de esboçar um sorriso enquanto jogamos.

Há, claro, lutas contra os clássicos bosses de final de nível, também estas claramente inspiradas nas que se encontram nos jogos de Mario. Seja nos níveis comuns, seja nestes encontros, somos também surpreendidos pela precisão dos controlos, algo fundamental nos jogos de plataformas. Em linha com esta qualidade está a música, que já referimos atrás, cujos acordes também lembram algo da série de Super Mario. Somos também agradavelmente surpreendidos pelo grafismo, sem margem para dúvidas do melhor que vimos no PSVR, talvez apenas rivalizado pelo excelente Resident Evil VII, pois o nível de clareza e detalhe de todos os objetos no cenário é muito acima do que se viu até agora no PSVR, levando-nos mesmo a questionar se, afinal, a PS4 terá assim tanta limitação técnica como se acredita ao nível do processamento gráfico, ou se os outros jogos não têm aproveitado o seu potencial como é devido.

Quando nos fartamos de andar a saltar de um lado para outro, podemos viajar até à nave nos nossos robôs, a Astro Ship, onde podemos desbloquear figuras tridimensionais que ilustram diversas personagens e localizações do jogo. É um extra curioso, mas insuficiente para elevar a durabilidade de Astro Bot: Rescue Mission. Essa é, de resto, a nossa única crítica negativa a este jogo, a sua duração relativamente curta, pois apenas conta com uma vintena de níveis, algo que os mais habilidosos conseguirão passar em poucas horas. No entanto, os cenários são variados e o desenho dos níveis é excelente. De resto, pouco mais há a dizer, para além dos elogios que já tecemos, e do lamento que fazemos por haver tão poucos jogos para o PSVR com este nível de qualidade, pois são experiências como esta que poderiam fazer subir as vendas do sistema de realidade virtual da Sony e levá-lo às massas. Só é pena que um jogo como este, divertido para miúdos e graúdos, indicado para toda a família, não possa ser disfrutado por todos, pois o uso do PSVR não é indicado para os mais pequenos…

Pedro Moreira é Reviewer no 8.5Bits | twitter @morenho27 | pedromoreira@8dot5bits.com

9.2
Muito Bom

Astro Bot: Rescue Mission

Astro Bot: Rescue Mission é um dos melhores videojogos para Realidade Virtual que vimos até agora: divertido, colorido, bem desenhado, interessante, empolgante. Se a Sony apostar em mais títulos como este, o PSVR poderá ainda ter um futuro brilhante à sua frente.

Pros

  • Tem dos melhores gráficos que vimos no PSVR, com boa música a acompanhar.
  • Utiliza em pleno as potencialidades da Realidade Virtual.
  • O desenho dos níveis roça, muitas vezes, o genial.
  • Os controlos são quase perfeitos.
  • Divertido para miúdos e graúdos.

Cons

  • É relativamente curto.
  • Crianças mais pequenas não podem usar o PSVR...
Jogador desde os tempos do Spectrum, aficionado a jogos de Luta, Condução e RPG. Estudou Línguas e Literaturas na Universidade Nova de Lisboa, e Línguas, Literaturas e Culturas na Universidade de Évora. É Professor de Português e Espanhol, e nos (poucos) tempos livres consegue, por vezes, ligar o PC.
Scroll to top