Teste a ‘Destiny 2’

O novo título da Bungie superou as nossas espectativas!

Chegou finalmente o dia em que os felizes possuidores das consolas PS4 e Xbox One podem disfrutar de Destiny 2. Quanto aos jogadores de PC, terão de esperar ainda mais um mês e meio, mas pelo menos terão acesso a Destiny 2, coisa que não aconteceu com o primeiro jogo.

Destiny foi o primeiro jogo da Bungie a não ser um exclusivo Microsoft, como o foram qualquer uma das entregas da saga Halo, e foi, na altura, um jogo cujas espectativas foram colocadas demasiado altas, o que resultou em alguma decepção. Se, por um lado, se aliou a experiência da Bungie com FPS e a da Activision Blizzard em jogos multijogador em linha, resultando num casamento bastante bem conseguido, por outro lado Destiny não foi assim tão revolucionário: era, no fundo, um híbrido entre FPS e MMORPG. Mas era, isso sim, um bom híbrido.

Iniciamos Destiny 2 com o Viajante a ser atacado por uma força inimiga. Para quem jogou ao primeiro jogo, o facto de vermos esta entidade, última esperança da humanidade, a ser atacada, é tão épico como aterrorizante. Já agora, notarão logo que estão a jogar com a “vossa” personagem, pois Destiny 2 importa automaticamente as nossas personagens do primeiro jogo, mas a nível um e sem qualquer equipamento. Ou seja, começamos do zero, mas com a aparência que tínhamos no primeiro jogo, no meio de um ataque sem precedentes à última cidade segura do planeta, na secção que esteve disponível na Beta aberta do passado mês de agosto, pelo que já conhecem o início do jogo se a experimentaram.

Destiny 2 repete e alarga a fórmula do primeiro jogo, com tudo o que isso possa ter de bom e mau. Destiny, apesar de não ter cumprido as expectativas demasiado exageradas que se criaram à sua volta, era um bom jogo, pelo que se compreende a decisão de reaproveitar muito do que de bom teve. Por outro lado, tinha alguns pontos fracos, como uma história pouco desenvolvida e poucas atividades para realizar a nível máximo, pontos sobre os quais houve um claro esforço em melhorar por parte da Bungie. A inclusão de algumas cutscenes, como a seguinte, em que a história é aprofundada, ajuda muito ao tom RPG de Destiny 2.

De resto, continuamos com a presença constante do nosso fiel Ghost, que fala por ele e por nós, visto que a nossa personagem continua tão muda como no primeiro jogo, continuamos com o mesmo inventário, os mesmos emotes, o mesmo Crucible, onde ocorrem as batalhas de jogadores contra jogadores, num modo mais competitivo que cooperativo, os mesmos Strikes e Raids, que seriam o equivalente às masmorras e raides dos mmorpg tradicionais. Enfim, muito mais do mesmo, num jogo que apenas se justifica que seja um jogo novo e não uma nova expansão porque nos traz uma nova história assente na destruição de todo o que conhecíamos do primeiro Destiny. Infelizmente, tal como este, Destiny 2 também é um jogo incompleto, que será atualizado com o recurso a expansões, mas cujo preço não será muito agradável se se mantiver a bitola dos valores anteriormente utilizados. Poderão adquirir as duas primeiras expansões num season pass, num pacote jogo mais expansões ou até mesmo com a versão Digital Deluxe, sendo mais baratas que compradas em separado mas levando o preço do jogo até aos cem euros, o que é excessivo para a maioria das bolsas.

Resta apenas abordar o departamento técnico de Destiny 2, mas mesmo aqui pouco há a dizer para os que conhecem o primeiro Destiny: grafismo mesmo muito bom, mas até mais detalhado e bem conseguido em Destiny 2; efeitos sonoros variados e muito bem feitos, banda sonora perfeitamente encaixada em cada um dos diferentes ambientes que visitamos e trabalho de vozes sem mácula; jogabilidade e controlos típicos de um FPS em consola, algo que pode pesar na hora de escolher uma versão, pois os jogadores de PC preferirão esperar por essa versão para poderem jogar de teclado e rato. Finalmente, uma boa durabilidade, com muitas atividades diferentes para realizar, como Raids, PVP, ou eventos públicos opcionais que ocorrem regularmente no mundo. Pena que a continuação da história esteja destinada a expansões pagas… e caras.

Pedro Moreira é Reviewer no 8.5Bits | twitter @morenho27 | pedromoreira@8dot5bits.com

Ponderação Final
Repete a fórmula do primeiro Destiny, com tudo o que isso tem de bom e mau, mas melhora alguns aspectos. Se gostaram do primeiro, gostarão deste. Se não vos agradou, dificilmente Destiny 2 vos conquistará.
Pontos Positivos
  • Campanha com história profunda.
  • Grande quantidade de atividades para realizar.
  • Diversão incomparável quando jogado com amigos.
  • É praticamente o mesmo jogo que o primeiro Destiny...
Pontos Negativos
  • … É praticamente o mesmo jogo que o primeiro Destiny.
  • Só haverá novo conteúdo nas expansões, que são caras.
9.2
Brutal
Escrito Por
Jogador desde os tempos do Spectrum, aficionado a jogos de Luta, Condução e RPG. Estudou Línguas e Literaturas na Universidade Nova de Lisboa, e Línguas, Literaturas e Culturas na Universidade de Évora. É Professor de Português e Espanhol, e nos (poucos) tempos livres consegue, por vezes, ligar o PC.

Esta análise foi-te últil?

1 0

Deixa o teu Comentário

Recuperar a Password

Escreve o teu nome de utilizador ou e-mail. Vais receber um link para criares uma nova password na tua caixa de correio electrónico.

Registar

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.