Destaques Videojogos

Teste a ‘The Inpatient’

Alguma vez te passou pela cabeça ser paciente de um sanatório?

A Supermassive Games dá-te a oportunidade de viveres e de seres um paciente na primeira pessoa, através do sistema de realidade virtual da Playstation. Um conto de terror imersivo, com cenários e sons horrendos, onde a tuas escolhas irão decidir se deves viver ou morrer.

Um jogo com jogabilidade e narrativa focada no título de sucesso de Until Dawn, chega-nos agora em modo VR. Um jogo totalmente em português, repleto de cenas assustadoras e de linguagem imprópria para miúdos.

A história decorre 60 anos antes de Until Dawn, no sanatório de Blackwood Pines, local onde a tortura, através de maus tratos, como a fome e a violência são o medicamento de eleição, sendo a personagem principal um paciente sem memória. Com o desenrolar do tempo irão surgir alguns flashbacks, alguns são peças essenciais para a revelação final da nossa personagem, outros não fazem sentido algum, porém este jogo, desde os primeiros instantes apresenta uma tensão enorme, muito devido ao bom trabalho gráfico e a uma boa iluminação, neste caso sempre fraca e/ou quase inexistente, o ambiente sonoro é típico de uma mansão abandonada, com portas velhas a roncar, corredores enormes e quartos claustrofóbicos, mas o que nos faz mesmo acelerar o coração é a mente distorcida do paciente.

The Inpatient elevou a interatividade para outro nível, permitindo além do sistema VR e dos comandos Move, utilizar a voz para dar resposta aos diálogos realizados durante o jogo, é aconselhado jogar num ambiente silencioso para que o microfone possa reconhecer a tua voz corretamente.

The inpatient testa a tua paciência ao limite, pois descontraído, calmo e paciente é algo que nunca irás sentir, muito pelo contrario, sempre que as luzes se apagarem prepara-te para sentires um arrepio de frio pela espinha acima, ou seja, o horror psicológico irá fazer-te tremer que nem varas verdes e o mais engraçado, sem graça nenhuma, é que a nossa personagem não corre nem temos armas ao nosso dispor, por estas e outras razões somos uns verdadeiros impacientes, quer na realidade virtual quer na realidade.lol

De salientar ainda que todo o processo de interação é igual a Until Dawn, quer no momento de fazer a escolha quer no momento de apanhar algum objeto no cenário. Caso não tenhas jogado a Until Dawn a interação funciona pode funcionar através do comando (DS4), com botão R2, atenção que o braço irá deslocar-se de tal forma que parece a personagem está possuída pelo demónio ou então quer ser contorcionista, passando o braço por cima da cabeça. O comando também irá servir para transportar uma lanterna ou abrir portas, entre outras pequenas ações, tudo muito simples e intuitivo.

Em suma, apesar de ser um jogo muito aterrador e com uma carga de tensa psicológica brutal,  que me prendeu e que me isolou do mundo real tal forma que precisei de fazer várias pausas durante o jogo, sinto falta de mais ação, necessidade de ter um objeto que me possa defender, tive também muitas vezes a necessidade de correr de medo (o jogo decorre sempre em passo lento), mas não foi possível, entre outros movimentos. Em poucas palavras diria que é um jogo de exploração com um clima tenso…

Joga vezes sem conta, pois a escolhas que fazes no presente irão influenciar o teu futuro e de todos os que te rodeiam, vive literalmente numa época distante e sobrevive ao tratamento no sanatório de Blackwood Pines.

 

 

 

Licenciado em Educação e Comunicação Multimédia / Especialista em Engenharia de Segurança Informática, apaixonado por tudo o que é tecnológico e louco por videojogos.

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Scroll to top