Destaques

15 Filmes a Ver no LEFFEST ’17

Esta sexta-feira começa o Lisbon & Sintra Film Festival – ou, como ainda é conhecido, o LEFFEST; o primeiro “E” ainda no antigo lugar de Estoril – e a programação deste ano está cheia de poderosos filmes para serem vistos no grande ecrã, tal como será palco de diversas e extensas retrospectivas sobre filmes passados.

Percorremos a lista dos mais excitantes filmes de 2017 que irão ser exibidos no festival. Desde potenciais Oscarizáveis a pequenos filmes intimistas, desde a barriga das prisões tailandesas aos picos dos jogos de poker milionários nós percorremos a lista de filmes a ver e estas são as nossas escolhas para os filmes que queremos ver no LEFFEST ’17, sem nenhuma ordem em particular:


THE DISASTER ARTIST

THE DISASTER ARTIST de James Franco

Quem ainda não foi iniciado nas maravilhas surreais do melhor pior filme de sempre, tem de ver o The Room. Realizado com um orçamento de 6 milhões de dólares, mas que mais parece ter sido filmado com um orçamento de 6 milhões de cêntimos, The Room não é o vulgar projecto low-budget para fazer dinheiro rápido, é antes o cri-du-coeur de um misterioso imigrante em São Francisco chamado Tommy Wiseau. Apenas é um cri-du-coeur feito por uma pessoa que não sabe o que quer que seja sobre nada. O The Room, em si, é um drama mau que dói, mas é estranho, fascinante e completamente hilariante, tornando-se no cult-classic deste milénio. James Franco realiza e protagoniza a história de como The Room foi feito e, a avaliar pelo trailer, não há como negar que a história de como o filme foi feito, o behind-the-scenes é tão ou mais incrível que o próprio original.

26 NOV. 19H30 / Cinemas Medeia Monumental


MOLLY’S GAME

MOLLY’S GAME de Aaron Sorkin

Molly Bloom era para ter sido uma esquiadora olímpica. No entanto, durante uma prova, ela tropeçou num toro e feriu-se gravemente, deixando-a incapaz de voltar a esquiar a nível competitivo, o que a lançou numa carreira imprevista como tesoureira, e mais tarde gerente de um lucrativo jogo clandestino de poker para as altas patentes de Hollywood.
Não há como negá-lo, Aaron Sorkin é um dos melhores argumentistas da actualidade. Ninguém no cinema americano, à parte de Tarantino, constrói diálogos como ele e depois de três poderosos argumentos sobre a maneira como a informática mudou o século XXI (The Social NetworkMoneyballSteve Jobs), Sorkin, pela primeira vez na cadeira de realizador, lança-se num terreno definitivamente analógico, mas não menos fértil em alta tragédia.

19 NOV. 21H30 / Cinemas NOS Amoreiras
25 NOV. 21H45 / Cinemas Medeia Monumental


THREE BILLBOARDS OUTSIDE EBBING, MISSOURI

THREE BILLBOARDS OUTSIDE EBBING, MISSOURI de Martin McDonagh

Frances McDormand interpreta uma mãe indignada com a falta de progresso na investigação sobre o assassinato da sua filha decide colocar três outdoors que acusam a polícia local de não fazer nada. Ah, e já dissemos que isto é uma comédia?
Escrita e realizada pelo dramaturgo irlandês Martin McDonagh, também responsável pelo improvavelmente hilariante In Bruges, pela primeira vez McDonagh afasta-se da sua herança irlandesa para fazer um filme sobre crime, castigo, e pessoas que praguejam como estivadores na província americana.

20 NOV. 22H00 / Cinemas Medeia Monumental


THE SQUARE

THE SQUARE de Ruben Östlund

“You’re so ugly you could be a modern art masterpiece!” grita o Sargento Hartman em Full Metal Jacket.
O mundo da arte contemporânea está tão cheia de grandes pretensiosos, egos inchados e comportamento excêntrico que é de admirar que só agora esteja a sair uma paródia sobre a atmosfera rarefeita do mundo artístico. A história gira em torno do roubo e substituição do telemóvel do curador do museu de Estocolmo que irá precipitar uma série de peripécias cringe que irão envolver pânico em museus, actores a interpretarem chimpanzés num jantar de gala e uma Elizabeth Moss muito irritada. E quanto mais não fosse poder ouvir a Genesis dos Justice numa sala de cinema, também foi atribuída a Palma de Ouro a este filme em Cannes.

18 NOV. 21H30 / Cinemas Medeia Monumental
Conversa com o realizador RUBEN ÖSTLUND


GOOD TIME

GOOD TIME de Joshua e Ben Safdie

OK, agora estamos a torcer um pouco as regras. Tecnicamente, o Good Time já passou nos cinemas em Portugal, no início de Outubro. Mas o filme passou largamente sem notícia e não merece passar sem ser mais falado. Não só o Robert Pattinson dá uma das melhores interpretações masculinas do ano como o próprio irá estar no festival a apresentar uma sessão do filme.
A história centra-se em Connie, um pequeno bandido de Nova Iorque e na noite que ele perde a correr um pouco por toda a cidade para tentar libertar o seu irmão deficiente da prisão, depois dos dois terem participado num assalto gorado a um banco de bairro.

25 NOV. 19H00 / Cinemas Medeia Monumental
Conversa com o actor ROBERT PATTINSON


HOW TO TALK TO GIRLS AT PARTIES

HOW TO TALK TO GIRLS AT PARTIES de John Cameron Mitchell

Quando um grupo de aliens em tour pela galáxia faz uma rápida passagem incógnita por Londres em 1977, um deles apaixona-se pela Terra e decide aventurar-se pela cidade, separado do seu grupo. Como está mascarado de rapariga (ainda por cima de Elle Fanning), o alien atrai imediatamente a atenção de um rapaz que se apaixona por ela.
Se isto parece ser uma prequela de Under the Skin, não se enganem: How to Talk… é uma comédia romântica musical sci-fi baseada numa short story de Neil Gaiman, o criador de Sandman American Gods; e realizada por John Cameron Mitchell, realizador dos filmes de culto Hedwig and the Angry Inch Shortbus.

20 NOV. 21H00 / Centro Cultural Olga Cadaval
21 NOV. 21H30 / Cinemas Medeia Monumental


A PRAYER BEFORE DAWN

A PRAYER BEFORE DAWN de Jean-Stéphane Sauvaire

Quando Billy Moore é apanhado pela polícia tailandesa e encerrado numa das prisões mais violentas do mundo sem sequer saber falar a língua, para conseguir sair da prisão ele torna-se um campeão de muay thai, mesmo que isso possa implicar a sua morte.
Como um dos únicos representantes não só de cinema asiático (apesar de realizado por um francês) bem como de cinema de género puro e duro que estão em cartaz este ano, é impossível não querer ir.

20 NOV. 21H30 / Cinemas NOS Amoreiras


CALL ME BY YOUR NAME

CALL ME BY YOUR NAME de Luca Guadagnino

Desde que estreou em Sundance que Call Me By Your Name tem sido um dos principais filmes a serem indicados como potenciais nomeados ao Óscar de Melhor Filme, e com o passar dos meses, a força do buzz em torno do filme não tem diminuído. Centrado no complicado romance entre um adolescente, um universitário americano e uma rapariga italiana numa quinta na província lombarda. Call Me By Your Name  não só é um filme de grande pedigree, realizado por Luca Guadagnino, um dos mais importantes realizadores italianos actuais, é também actualmente o filme mais cotado do ano em sites agregadores de votos como o IMDb como no Letterboxd.

21 NOV. 21H00 / Centro Cultural Olga Cadaval
22 NOV. 21H45 / Cinemas Medeia Monumental


VERÃO DANADO

VERÃO DANADO de Pedro Cabeleira

Não poderíamos fazer esta lista sem mencionar o OVNI português do ano,Verão Danado, realizado ao longo de três anos com um budget zero (ou quase) por Pedro Cabeleira e que lhe valeu uma menção honrosa no Festival de Cinema de Locarno. É uma história sobre um grupo de jovens que anda à deriva nas noites do primeiro verão a seguir o final da Universidade, sem grandes planos nem perspectivas de futuro. É deixar a festa começar e rezar para que ela não acabe.

23 NOV. 21H30 / Espaço Nimas
Apresentação e conversa com o realizador PEDRO CABELEIRA
24 NOV. 18H00 / Centro Cultural Olga Cadaval
Apresentado pelo realizador PEDRO CABELEIRA


LAST FLAG FLYING

LAST FLAG FLYING de Richard Linklater

Richard Linklater é um realizador particular. Com a excepção de School of Rock, de longe o seu projecto mais comercial, nenhum dos seus filmes tem uma premissa particularmente excitante. No entanto, Linklater é perito em descobrir tremendo drama e beleza na simples observação da vida. Esqueçam até os seus filmes mais famosos como Dazed and ConfusedBoyhood e a trilogia Before que contam entre os mais românticos e poéticos filmes dos últimos 30 anos. Basta lembrar Everybody Wants Some!!, uma pequena jóia de um filme sobre um grupo de universitários a namorar raparigas durante um fim-de-semana lançado no ano passado.
Por isso, não é de admirar que apesar de uma premissa que, mais uma vez, não parece nada de especial: três veteranos do Vietname juntam-se quando o filho de um deles morre em combate no Iraque e decidem transportar o corpo pelos seus próprios meios de volta à terra onde ele nasceu; estejamos em pulgas para ver o filme.

17 NOV. 21H30 / Cinemas Medeia Monumental
24 NOV. 21H00 / Centro Cultural Olga Cadaval


WESTERN

WESTERN de Valeska Grisebach

Um grupo de trabalhadores alemães começam a trabalhar num estaleiro perdido no meio de nenhures na Bulgária. Por estarem tão longe de casa, numa terra desconhecida, os homens começam a sentir-se mais aventureiros. Dois dos homens começam a competir pelos favores dos habitantes locais e daí, tudo começa a descambar numa espécie de western art-house em plena Europa de Leste.
O filme de Valeska Grisebach foi um dos mais bem recebidos filmes este ano em Cannes.

19 NOV. 15H15 / Centro Cultural Olga Cadaval
19 NOV. 21H30 / Cinemas Medeia Monumental


BARBARA

BARBARA de Mathieu Amalric

Uma actriz e um realizador preparam-se para fazer um filme sobre a cantora Barbara, uma das grandes cantoras francesas da década de 60. E enquanto a actriz se embrenha cada vez mais na personagem de Barbara e a sua personalidade se começa a fundir com a personalidade da personagem, o realizador começa cada vez mais a apaixonar-se pela actriz. Mas estará ele a apaixonar-se pela actriz, ou por Barbara?
Para além de ser um ex-vilão de 007, Mathieu Amalric tem começado a criar o seu nicho em França como um surpreendentemente talentoso realizador e vem a Portugal apresentar Barbara no LEFFEST.

21 NOV. 21H45 / Espaço Nimas
Conversa com o realizador MATHIEU AMALRIC
22 NOV. 21H30 / Cinemas NOS Amoreiras
Conversa com o realizador MATHIEU AMALRIC


THE DAY AFTER

THE DAY AFTER de Hong San-Soo

Ah-Reum conseguiu um trabalho como secretária numa pequena editora. Ela vem substituir uma outra rapariga que saiu da empresa depois de ter tido um caso bastante vívido e mal-acabado com o seu chefe Bong-Wan. Quando a mulher de Bong-Wan encontra uma das cartas de amor entre Bong-Wan e a antiga amante, ela confunde Ah-Reum com a rapariga que partiu.
The Day After é o quarto filme de Hong Sang-Soo no espaço de oito meses  o prolífico realizador sul-coreano e um dos favoritos da revista Cahiers du Cinéma, e o seu quarto filme a ser exibido em competição pela Palma de Ouro no Festival de Cannes.

18 NOV. 21H00 / Centro Cultural Olga Cadaval
20 NOV. 22H00 / Cinemas Medeia Monumental


A CIAMBRA

A CIAMBRA de Jonas Carpignano

Quando o seu irmão mais velho desaparece, Pio, um rapaz cigano que vive numa pequena comunidade no sul de Itália decide provar a si mesmo que é capaz de ser o homem da família, sem saber ainda o que é que isso irá significar. Esta é a premissa do filme de Carpignano, um realizador radicado na vila de Gioia Tauro, na Calábria, o primeiro filme a ser produzido pelo fundo de Martin Scorsese para apoiar novos cineastas e o filme escolhido para representar Itália na corrida para o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro.

22 NOV. 18H00 / Centro Cultural Olga Cadaval
24 NOV. 21h30 / Cinemas Medeia Monumental
Apresentação e conversa com o realizador JONAS CARPIGNANO


I LOVE YOU, DADDY

I LOVE YOU, DADDY de Louis CK

E finalmente, o filme de Louis CK que recentemente foi retirado de exibição em Nova Iorque dadas as alegações de assédio sexual vai também estrear no LEFFEST. Independentemente daquilo que uma pessoa possa sentir sobre CK como pessoa, o que é facto é que ao longo da última década, de Louie Horace & Pete, CK cresceu como artista, a meio caminho entre o humor nova-iorquino de Woody Allen e o olhar implacável de Michael Haneke. “Ama o pecador, odeia o pecado” como se diz e em boa consciência não conseguimos negar que I Love You Daddy seja uma das mais interessantes propostas do festival.
Este novo filme de CK, filmado em segredo em Junho é sobre um produtor de televisão que tem de lidar com a chegada à maturidade de China, a sua filha e do seu envolvimento com um realizador muito mais velho que ela. I Love You Daddy é um filme que ameaça ser tão hilariante e provocador como o seu trabalho televisivo.

23 NOV. 22H00 / Cinemas Medeia Monumental
24 NOV. 21H30 / Cinemas NOS Amoreiras

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Scroll to top