9.5
Excelente
Cinema / TV Destaques

Análise a “Dragon Ball Super: Broly”

Foi no mês de Novembro de 2018 que o novo filme da Dragon Ball Super: Broly estreou nos cinemas nipónicos e o sucesso foi tão grande que rapidamente foi pedido que estreasse em mais países do mundo e Portugal não foi excepção. Foi no dia 14 de Março que esta nova peça cinematográfica se estreou nas nossas salas e tive o prazer de o poder ver em primeira mão na versão dobrada em português de Portugal em memória dos velhos tempos das transmissões televisivas no nosso território.

O filme é basicamente um “reboot” do filme com o mesmo vilão lançado no ano de 1993 mas com a histórica encaixada depois dos eventos ocorridos na mais recente temporada de Dragon Ball Super. A história fala-nos de Broly, um guerreiro do espaço (Saiyan) que nasceu com um potencial de combate nunca antes visto e por esse mesmo facto que o rei Vegeta (autoridade máxima dos guerreiros do espaço) ordenou que este seja enviado para um planeta longínquo para que possa crescer e dominar esse mesmo planeta. Mas na verdade o verdadeiro motivo pelo qual o rei Vegeta o envia para esse planeta é porque considera Broly uma possível ameaça à autoridade do seu filho, o príncipe Vegeta.

O pai de Broly, Paragus, ao saber de tal noticia decide ir atrás da cápsula que levou o seu filho até ao planeta para o qual fora enviado jurando vingança a Vegeta pelo que o seu pai fez com o seu filho. Ao mesmo tempo o nosso herói Son Goku é enviado para a Terra pelos pais para que este sobreviva a um ataque eminente do imperador Frieza.

O filme começa de forma lenta, para que quem não esteja tão familiarizado com a história consiga perceber o universo de Dragon Ball mas a partir da primeira meia hora a acção dos combates a que estamos habituados a ver no Anime dominam por completo. O grafismo do filme é em tudo semelhante ao que vemos na série televisiva e a Toei Animation não poupou esforços no que toca à animação do próprio filme mas é quando o combate entre Son Goku, Vegeta e Broly começa que percebemos a sua qualidade. Animação essa que levou a que o filme fosse nomeado para melhor filme de animação do ano (2018). O ponto alto do combate contra o “vilão” está feito de uma forma especial, a animação foi feita numa espécie de 2.5D que nos dá a sensação de profundidade mas não tanta como se fosse num filme a três dimensões.

Acompanhado de uma banda sonora de grandiosa qualidade as cenas de combate tornam-se ainda melhores a cada minuto que passa. Todas as características da série estão presentes, montanhas destruídas, poderosos ataques de Ki, transformações, muitas transformações! Todo o que o público gosta em Dragon Ball está presente no filme. Surge até um momento em que (talvez propositadamente ou não) parece que Son Goku atinge o nível de Ultra Instinct (ultima transformação de Goku) quando o cabelo de Goku fica completamente branco mas tal acaba por não acontecer.

Em relação à tradução, tem inúmeras referências à “cultura” portuguesa e até mesmo de um videojogo muito conhecido. Podemos contar com um toque de humor aqui ou ali no diálogo que em nada afecta a qualidade e o prestigio da dobragem que ficou muito boa e muito bem construída. O único ponto negativo são as vozes de alguns personagens secundários que ficaram um pouco infantis mas não é algo que tira o prestígio ao trabalho de toda a peça. A equipa de dobragem de Dragon Ball está de parabéns! Infelizmente após a conclusão deste projecto os dobradores disseram o adeus definitivo às personagens a que deram voz durante tantos anos.

Se gostas de Dragon Ball, animação japonesa e de muita acção então este filme é para ti!

9.5
Excelente

Dragon Ball Super: Broly

Dragon Ball Super: Broly é o melhor filme de Dragon Ball feito até agora. Possui momentos de acção frenéticos acompanhados por uma banda sonora igualmente incrível. E para quem está receoso de ver o filme dobrado em português pode ficar descansado porque não "estraga" a experiência em nada, muito pelo contrário!

Pros

  • Combates repletos de acção
  • Banda sonora épica
  • Boa animação

Cons

  • Algumas vozes são um pouco infantis
  • Ausência de mais personagens da saga
Técnico Multimédia | Amante de Videojogos | Youtuber nos tempos livres
Scroll to top