Joaquin Phoenix, no maior papel da sua carreira, é isso que tu vais ver já esta semana nos cinemas, num olhar situacional e estudo de personagem de Arthur Fleck, interpretado por ele, um homem ostracizado e atirado para o lixo pela sociedade, desrespeitado e sem acolhimento, a centralização de uma história de origem do icónico inimigo e vilão, dum filme a solo que agora te chega, realizado por Todd Phillips, um conto de maior preventivo em Gotham, que foi escrito pela Warner Bros.

Sorrindo e com uma cara feliz, é esse o estado que abandonei o cinema, depois desta obra de maior arte que o filme foi, tremendo drama de crime e suspense, que faz sentir a energia a cada passo que o filme opta, acompanhado de lado pela melhor banda sonora dos últimos tempos, de uma narrativa imprevisível e com um final chocante, onde o mal impera e sai por cima, num enredo de fundo que nos deixa presos a todo o momento, do melhor que se pode criar, é cinema para a eternidade, fechem as cortinas.

É um filme de estudo psicológico, sobre o mal da consciencialização e empatia do isolamento, ao invés de apenas um super filme de heróis, passado nos anos 80, um comediante falhado enlouquece e passa a levar o crime e o caos às ruas, com um estilo cinematográfico de elite e mestria, e com muita dose abonatória cinéfila, sobre a abordagem da doença no entretenimento, com as melhores porções de representação desta temporada fílmica, e não deixando de ser incrível, parte responsável devido ao ator principal que devorou tudo.

Joaquin Phoenix é tudo, neste filme ele comanda, disturba e sente, é a performance do ano para mim, emocionalmente falando, vai dar que falar para os prémios que virão, ele come toda a potencial concorrência com esta entrega, que já lhe valeu tremendos elogios, e que podem muito bem não ficar por aí, e espero mesmo que, seja idiotices devido à violência que o filme mostra, ou outra coisa, não impeçam este filme, e sobretudo esta emancipação de brilhar, porque vale cada momento até aos créditos, mágico.

Conclusão, não resta dúvidas, o filme e a atuação do ano, não perca, um conselho 8.5Bits.