Mister Jones é um filme do passado recente da história europeia mas cujo tema é extremamente actual. A procura pela verdade no jornalismo. Só por isso já merecia um segundo olhar.

Mister Jones retrata a vida do Jornalista gaulês Garret Jones que pouco antes da 2ª guerra mundial ficou célebre por ter entrevistado Hitler. A ousadia e determinação do jovem jornalista iriam levá-lo à União Soviética para ver a máquina socialista actuar e perceber se o melhor modelo social já existia e como estava a funcionar. Estaria?

Não é exactamente um “spoiler” referir que um dos segredos desta máquina comunista que Estaline tinha montado era a mão de ferro com que oprimiu alguns dos povos da região. No caso particular do filme, a Ucrânia onde morreram milhões de pessoas de fome vítimas da máquina soviética que a todo o custo tinha de ser alimentada.

A proposta é interessante e o contexto histórico fundamental para compreender a Europa dos dias de hoje. Juntemos a isto a presença pontual de George Orwell que por esta altura escrevia e o seu magnífico “Animal Farm”, uma verdadeira lição sobre poder e o filme tem já argumentos que cheguem para qualquer amante de história e de boas histórias ir ao cinema.

A pergunta a que resta reponder é se a execução consegue trazer ao ecrã a tensão, o frio, a fome e todas essas coisas que já foram comuns há não muito tempo na Europa e das quais parece por vezes que já nos esquecemos.

Consegue e bem. Um filme que vive do desempenho dos actores uma vez que são eles que enchem o ecrã a maior parte do tempo. Tempo esse que é dividindo com o silêncio, o frio e a fome. Um filme histórico que consegue por vezes aproximar a narrativa do terror e também da coragem que coexistem na natureza humana. Tudo isto com escolhas visuais e sonoras.

Uma nota para a fotografia que é excelente sem se sobrepor demasiado.

A nossa memória dos eventos não vívidos é nos veiculada através de instituições, da oralidade, livros, filmes, etc. É por isso fundamental que este tipo de obras exista. Para preencher estes pedaços da história que se perderam no tempo ou são apenas pormenores numa história que não pode ser exaustiva mas que não pode deixar esquecer os que contribuíram para essa construção durante e na actualidade.

A história que nos chegou na instituição escola não refere estes protagonistas que lutaram pela verdade e continuam ainda hoje na actualidade a lutar. Para que a verdade, ainda que diferente para cada um possa ser expressa.

Este filme celebra a luta pela verdade de Mister Jones e só por isso já merecia uma nota positiva, pela a ambição. Felizmente para nós espectadores fá-lo bem de forma
competente. Chocante sem precisar de chocar.