Este era provavelmente o filme mais aguardado do último ano. Os resultados de bilheteira aí estão para o comprovar. Depois do corajoso “Avengers: Infinty War” em que heróis não triunfam a expectativa para ver como se iria concluir esta primeira mega saga cósmica do Marvel Cinematic Universe (MCU) era enorme. Viverá o filme para o hype criado? Será este o melhor filme de sempre? Vou tentar responder, sem spoilers.

Este é um filme que tinha uma grande responsabilidade. Era a conclusão da “Fase 3” deste universo cinemático, que de forma coesa, tem vindo a ser criado ao longo dos últimos anos. A primeira fase incluía 6 filmes, todos eles ligados. Mas a principal ligação era mostrada depois do filme acabar.Nas cenas pós-créditos surgia o teares de uma nova ameaça ou herói. Em “Os Vingadores” foi a primeira vez que podemos ver no grande ecrã o projecto deste universo cinemático concretizado.  É exactamente neste sexto filme que é feita a aposta na grande ameaça. Thanos, “Mad Titan” que passaria a estar presente durante os 16 filmes seguintes. Omnipresente, a ameaça fazia-se sentir e aguardar. Endgame era o capítulo final da “Fase 3” e também deste primeiro conjunto de 21 filmes.

O filme tinha a responsabilidade de funcionar por si só mas também como conclusão de outros 20. Este era o hercúleo objectivo e foi atingido o que por si só é um mérito. São 3 horas de filme, que passam a voar, porém sem nunca sentirmos que a história foi comprimida ou apressada para ali caber. O filme é uma verdadeira carta de amor à Marvel e aos comics.  Todos podem encontrar algo para si neste filme, que é um fim satisfatório para este ciclo que foi iniciado quando a Marvel Studios foi criada. Todos aqueles que estiveram a bordo desta aventura que foi transportar a magia dos Comics para o cinema só podem sair das salas de cinema satisfeitos. Mas claro, quando a viagem está a ser boa fica sempre um aperto quando termina. Embora resulte individualmente, o verdadeiro peso desta história atinge quem a tem acompanhado desde início de forma especial.

hype é tanto que a internet tem fervilhado de conteúdos sobre o filme. É este é o melhor filme (Blockbuster) de sempre? Essa é uma questão difícil. Este filme é tudo aquilo que lhe é pedido. Divertido, inesperado, emocionante, épico e até mais. Não se poderia pedir mais dignidade. No entanto, embora eu tenha adorado o filme, (o público da sala de cinema onde eu estava também, até palmas houve) este não é para mim o melhor filme da Marvel Studios, mas é sem dúvida o melhor filme que eu poderia pedir.

Ao contrário do que costuma ser a principal crítica feita a estes filmes da Marvel, este não é um filme da fórmula Marvel, não é semelhante a outros filmes da Marvel. É um filme que só é possível devido à formula Marvel e funciona melhor se visto como como parte de um grande filme que é este MCU. Perante a dimensão do desafio o que foi entregue este último capitulo desta saga engrandece o que já se viu para trás e mantém o futuro do MCU promissor (os mais atentos a notícias do mundo do cinema devem saber que Disney que é dona da Marvel Studios comprou a Fox Studios e por isso X-Men e Fantastic Four deverão  aparecer num futuro não muito distante no MCU voltando a redefinir as fronteiras do filme épico de Super-Heróis). A minha previsão é que Universo Marvel do cinema que deverá caminhar nos próximos anos até X-Men vs Avengers e mais tarde talvez até Guerras Secretas.

A ação e efeitos especiais são dos melhores que se podem encontrar nas salas de cinema actuais. A dupla de realizadores já nos tinha brindado com algumas das melhores e maiores cenas de acção do MCU e volta a repetir o feito. A banda sonora está muito cuidada e como não há com não adorar os temas escolhidos para os momentos de Heist movie com percursões de deixar inquieto o mais calmo espectador. Mas estes são elementos a que a Marvel já nos habituou entregar com solidez. O coração deste filme está no entanto noutro lado. Não são as lutas fantásticas, os momentos incríveis que estabelecidos em filmes anteriores ou até mesmo as proporções nunca antes vistas. O coração do filme está na ligação entre as pessoas, na família que se formou e que encerra um ciclo. O Universo Marvel deu assim mais um passo em direcção à maturidade.