What’s Popular

Teste a ‘Ghost Giant’

Ghost Giant é o jogo que irá aquecer o teu coração!

Sê o grande protetor do pequeno e solitário Louis, uma criança introvertida, mas criativa que precisa constantemente da tua companhia e ajuda. Constrói um laço forte de confiança, ajudando-o a transpor e/ou mover vários obstáculos, por vezes não são os obstáculos físicos a maior barreira, mas sim a narrativa comovente que consome a nosso pequeno Louis.

Neste jogo, o nosso papel passa por sermos uma personagem gigante em todos os sentidos, isto é, não é só de tamanho que se mede uma personagem, mas sim de sentimento, carinho e vontade de ajuda, somos e seremos o suporte emocional de uma pequena criatura muito afável. O nosso aspeto não importa e como tal só se vê os braços semi-transparentes e só somos vistos pelo nosso amigo Louis. O controlo da nossa personagem é feita através dos comandos Move e claro a câmara desloca-se à medida que viramos a nossa cabeça.

Com uma visão espacial em 360º, através dos óculos VR da PS4, é como se num mundo de fantasia estivéssemos. O cenário tridimensional em tons de cartoon, com um aspeto infantil e muito interativo transporta-nos literalmente para o mundo digital, total imersividade.

Apesar da nossa grandeza, estamos limitados no espaço e na interação com os objetos, sendo apenas possível levantar alguns objetos ou peças, tais como, casas, caixas, flores, entre outros, mas no que toca aos seres vivos não se podem levantar, mas podemos interagir com eles, através do toque.

Desenvolvido pelo estúdio behind Fe and Flipping Death, chega-nos a história mais calorosa alguma vivida na PS4, já está disponível digitalmente desde dia 16 de abril e em formato físico a partir de dia 19.

 

Análise a ‘Sulla Mia Pele’ – 12ª Festa do Cinema Italiano

“Sulla Mia Pelle” é um filme de Alessio Cremonini, lançado em 2018 e distribuído pela plataforma Netflix. Entretanto, a 12ª Festa do Cinema Italiano nos brindou com a visualização da obra no grande ecrã, como merecido!

A longa-metragem narra o caso criminal verídico de Stefano Cucchi (Alessandro Borghi), italiano, 31 anos, que numa abordagem policial é apreendido por portar 20g de haxixe e 2 de cocaína. Aquilo que era para ser um breve noite na prisão, torna-se um verdadeiro pesadelo para Cucchi que, 7 dias depois, sob custódia, com vários hematomas no corpo e duas vértebras fraturadas, morre, iniciando e finalizando o círculo deste filme.

O drama divide-se praticamente em duas situações paralelas. Por um lado, vemos Cucchi completamente refém do sistema, desde o momento de sua prisão à passagem por diversos oficiais, instituições, enfermeiros e médicos, todos sem verdadeiro interesse pela sua situação. Por outro, testemunhamos uma família que ao tentar visitar o filho, ou ter qualquer tipo de notícia, é sempre confrontada com a frase “não é permitido”.

A decisão de não focar na violência em si, que acontece (ou não) numa sala na qual não entramos ou ouvimos som algum, traz ao filme um olhar desprovido de sensacionalismos diante do ocorrido. É como se o diretor e a co-guionista Lisa Nur Sultan estivessem a nos dizer “aqui estão os fatos, tirem suas próprias conclusões”. Ainda sobre este aspecto, é impossível não se impressionar com a atuação de Borghi; com poucas falas e sem maneirismos, o ator consegue incorporar o papel de forma crua e realista.

Importante também destacar a cinematografia de Matteo Cocco. Uma palheta de cor limitada, sem cores vibrantes, permeia o filme e seus movimentos de câmera, discretos o suficiente para não chamar atenção para si, são os responsáveis por anunciar o destino de Cucchi ao ser guiado para a “sala de fotografia”.

Uma trilha sonora (Mokadelic) com longos acordes de piano e lamentos eletrônicos, se une aos demais elementos deste filme para construir uma narrativa que passeia entre o documentário e a ficção. Para além de abordar a violência policial, “Sulla Mia Pelle”, expõe uma máquina judicial altamente burocrática e desorganizada, incapaz de enxergar o que está diante de si: um homem morrendo perante os olhos do protocolo.

DATA DE ESTREIA: 12/09/2018 na Netflix

REALIZAÇÃO: Alessio Cremonini

ARGUMENTO: Alessio Cremonini, Lisa Nur Sultan

ELENCO:  Alessandro Borghi, Massimiliano Tortora, Milvia Marigliano

GÉNERO: Drama

PAÍS: Itália

ANO: 2018

DURAÇÃO: 100 minutos

Teste a “Mortal Kombat 11” (Beta Fechada)

Mortal Kombat é um dos jogos de luta mais conhecidos do mundo e também dos mais antigos. Neste mês de Abril vamos ter um novo jogo da série para nos divertirmos com combates intensos cheios de acção, sangue (muito sangue) e entranhas pelos ares.

Data de Lançamento: 23 de Abril de 2019

Plataformas: PS4, XBOX ONE, NINTENDO SWITCH e PC

Estivemos a testar um pouco do que o jogo nos tem para oferecer na beta privada esta é a minha análise.

Passatempo Antestreia – A Maldição Da Mulher Que Chora

O 8.5Bits em parceria com a Warner Bros. Pictures e NOS Audiovisuais têm para te oferecer a possibilidade de assistires à antestreia do filme ‘A Maldição Da Mulher Que Chora‘.

VENCEDORES

PORTO
Ana Catarina de Jesus
Ana Filipa da Silva Rocha
Ana Sofia Vieira da Silva
Daniela Sofia Freitas da Rosa
Diana Margarida Sousa Gonçalves
Hugo Miguel Pereira Mario
Raquel Ferreira de Vasconcelos
Ricardo Manuel Soares Alves Barbosa
Tiago José Pereira Gomes Pedrosa
Vitor Manuel de Sousa Alves

LISBOA
Carla Sofia Gomes Paulo
Carlos José Gonçalves Ribeiro
Claudia Francisco Bernardo
Cláudia Marisa Mata dos Santos
Nuno Filipe Vasconcelos Captivo Gonçalves
Patrícia Isabel José Guerreiro
Pedro Afonso Martins Nabais
Rui Filipe Marques Ferreira
Tania Andreia Anjos Martins
Tomás da Silva Faria Lampreia Gomes

La Llorona. Ou a Mulher Que Chora. Trata-se de uma horrenda aparição, que se encontra entre o Céu e o Inferno, aprisionada num destino terrível que ela própria originou.  Ainda em vida, num ataque de fúria provocado por ciúmes, La Llorona afoga os próprios filhos num rio revoltoso, lançando-se de seguida atrás deles. Quem ouvir o seu choro, durante a noite, ficará amaldiçoado.

La Llorona persegue crianças, numa tentativa desesperada de substituir as suas. Ignorando o inquietante alerta de uma mãe perturbada que se suspeita maltratar os filhos, uma assistente social e a sua família depressa se veem envolvidos num assustador mundo sobrenatural. A única esperança de escapar à sua cólera mortífera parece estar nas mãos um padre desiludido e do misticismo que pratica para manter o mal à distância. Mas nada a demoverá da sua missão de os arrastar até à penumbra.

O filme foi produzido por Emile Gladstone, Gary Dauberman (“IT” e “Annabelle”) e James Wan (do universo de “The Conjuring”). Michael Chaves, vencedor da melhor curta-metragem no Festival Shriekfest’s 2016 com “The Maiden”, assina aqui a realização da sua primeira longa-metragem.

Conta ainda com as interpretações de Linda Cardellini (“Bloodline” da Netflix, “Vingadores: A Era de Ultron”); Raymond Cruz (da série “Major Crimes”); Patricia Velasquez (da série “A Letra L” e da saga “A Múmia”); e Marisol Ramirez (da série “Investigação Criminal: Los Angeles”). O elenco inclui ainda Sean Patrick Thomas (dos filmes “A Barbearia” e “Halloween: A Ressurreição”), Jaynee-Lynne Kinchen (“Outro/EU”) e Roman Christou, no seu primeiro papel.

Michael Chaves realizou o filme a partir de um argumento desenvolvido por Mikki Daughtry e Tobias Iaconis. Nos bastidores, o trabalho foi assegurado pelo diretor de fotografia Michael Burgess, a diretora de arte Melanie Jones, o montador Peter Gvozdas e a responsável de guarda-roupa, Megan Spatz. A música ficou a cargo de Joseph Bishara ( “Annabelle” e “The Conjuring”).

“A Maldição da Mulher Que Chora” estreia nos cinemas a 18 de Abril.

Temos 20 convites para a antestreia:

10 convites duplos
Lisboa – Cinema NOS, Colombo – Dia 17 de Abril, às 21:30h

10 convites duplos
Porto – Cinema NOS, Marshopping –Dia 17 de Abril, às 21:30h

Podes participar até às 12h de dia 16 de Abril.

Para participares só tens de
-Preencher o formulário abaixo
-Partilhar publicamente esta publicação:

*link da publicação no facebook*

Verifica as regras do passatempo aqui: http://8dot5bits.com/regulamentos/

PASSATEMPO TERMINADO

Os vencedores serão anunciados em breve.

NO CINEMA A 18 DE ABRIL

#MaldiçãoDaMulherQueChora

© 2019 Warner Bros. Ent. All Rights Reserved

O envio da listagem de vencedores para os cinemas é da responsabilidade do distribuidor do filme sendo o 8.5Bits apenas promotor do passatempo. 
Em situações extraordinárias, os vencedores poderão contactar-nos via mensagem privada no Facebook.

 

Editor's Choice

Teste a ‘Ghost Giant’

Ghost Giant é o jogo que irá aquecer o teu coração!

Sê o grande protetor do pequeno e solitário Louis, uma criança introvertida, mas criativa que precisa constantemente da tua companhia e ajuda. Constrói um laço forte de confiança, ajudando-o a transpor e/ou mover vários obstáculos, por vezes não são os obstáculos físicos a maior barreira, mas sim a narrativa comovente que consome a nosso pequeno Louis.

Neste jogo, o nosso papel passa por sermos uma personagem gigante em todos os sentidos, isto é, não é só de tamanho que se mede uma personagem, mas sim de sentimento, carinho e vontade de ajuda, somos e seremos o suporte emocional de uma pequena criatura muito afável. O nosso aspeto não importa e como tal só se vê os braços semi-transparentes e só somos vistos pelo nosso amigo Louis. O controlo da nossa personagem é feita através dos comandos Move e claro a câmara desloca-se à medida que viramos a nossa cabeça.

Com uma visão espacial em 360º, através dos óculos VR da PS4, é como se num mundo de fantasia estivéssemos. O cenário tridimensional em tons de cartoon, com um aspeto infantil e muito interativo transporta-nos literalmente para o mundo digital, total imersividade.

Apesar da nossa grandeza, estamos limitados no espaço e na interação com os objetos, sendo apenas possível levantar alguns objetos ou peças, tais como, casas, caixas, flores, entre outros, mas no que toca aos seres vivos não se podem levantar, mas podemos interagir com eles, através do toque.

Desenvolvido pelo estúdio behind Fe and Flipping Death, chega-nos a história mais calorosa alguma vivida na PS4, já está disponível digitalmente desde dia 16 de abril e em formato físico a partir de dia 19.

 

Análise a ‘Sulla Mia Pele’ – 12ª Festa do Cinema Italiano

“Sulla Mia Pelle” é um filme de Alessio Cremonini, lançado em 2018 e distribuído pela plataforma Netflix. Entretanto, a 12ª Festa do Cinema Italiano nos brindou com a visualização da obra no grande ecrã, como merecido!

A longa-metragem narra o caso criminal verídico de Stefano Cucchi (Alessandro Borghi), italiano, 31 anos, que numa abordagem policial é apreendido por portar 20g de haxixe e 2 de cocaína. Aquilo que era para ser um breve noite na prisão, torna-se um verdadeiro pesadelo para Cucchi que, 7 dias depois, sob custódia, com vários hematomas no corpo e duas vértebras fraturadas, morre, iniciando e finalizando o círculo deste filme.

O drama divide-se praticamente em duas situações paralelas. Por um lado, vemos Cucchi completamente refém do sistema, desde o momento de sua prisão à passagem por diversos oficiais, instituições, enfermeiros e médicos, todos sem verdadeiro interesse pela sua situação. Por outro, testemunhamos uma família que ao tentar visitar o filho, ou ter qualquer tipo de notícia, é sempre confrontada com a frase “não é permitido”.

A decisão de não focar na violência em si, que acontece (ou não) numa sala na qual não entramos ou ouvimos som algum, traz ao filme um olhar desprovido de sensacionalismos diante do ocorrido. É como se o diretor e a co-guionista Lisa Nur Sultan estivessem a nos dizer “aqui estão os fatos, tirem suas próprias conclusões”. Ainda sobre este aspecto, é impossível não se impressionar com a atuação de Borghi; com poucas falas e sem maneirismos, o ator consegue incorporar o papel de forma crua e realista.

Importante também destacar a cinematografia de Matteo Cocco. Uma palheta de cor limitada, sem cores vibrantes, permeia o filme e seus movimentos de câmera, discretos o suficiente para não chamar atenção para si, são os responsáveis por anunciar o destino de Cucchi ao ser guiado para a “sala de fotografia”.

Uma trilha sonora (Mokadelic) com longos acordes de piano e lamentos eletrônicos, se une aos demais elementos deste filme para construir uma narrativa que passeia entre o documentário e a ficção. Para além de abordar a violência policial, “Sulla Mia Pelle”, expõe uma máquina judicial altamente burocrática e desorganizada, incapaz de enxergar o que está diante de si: um homem morrendo perante os olhos do protocolo.

DATA DE ESTREIA: 12/09/2018 na Netflix

REALIZAÇÃO: Alessio Cremonini

ARGUMENTO: Alessio Cremonini, Lisa Nur Sultan

ELENCO:  Alessandro Borghi, Massimiliano Tortora, Milvia Marigliano

GÉNERO: Drama

PAÍS: Itália

ANO: 2018

DURAÇÃO: 100 minutos

Teste a “Mortal Kombat 11” (Beta Fechada)

Mortal Kombat é um dos jogos de luta mais conhecidos do mundo e também dos mais antigos. Neste mês de Abril vamos ter um novo jogo da série para nos divertirmos com combates intensos cheios de acção, sangue (muito sangue) e entranhas pelos ares.

Data de Lançamento: 23 de Abril de 2019

Plataformas: PS4, XBOX ONE, NINTENDO SWITCH e PC

Estivemos a testar um pouco do que o jogo nos tem para oferecer na beta privada esta é a minha análise.

Passatempo Antestreia – A Maldição Da Mulher Que Chora

O 8.5Bits em parceria com a Warner Bros. Pictures e NOS Audiovisuais têm para te oferecer a possibilidade de assistires à antestreia do filme ‘A Maldição Da Mulher Que Chora‘.

VENCEDORES

PORTO
Ana Catarina de Jesus
Ana Filipa da Silva Rocha
Ana Sofia Vieira da Silva
Daniela Sofia Freitas da Rosa
Diana Margarida Sousa Gonçalves
Hugo Miguel Pereira Mario
Raquel Ferreira de Vasconcelos
Ricardo Manuel Soares Alves Barbosa
Tiago José Pereira Gomes Pedrosa
Vitor Manuel de Sousa Alves

LISBOA
Carla Sofia Gomes Paulo
Carlos José Gonçalves Ribeiro
Claudia Francisco Bernardo
Cláudia Marisa Mata dos Santos
Nuno Filipe Vasconcelos Captivo Gonçalves
Patrícia Isabel José Guerreiro
Pedro Afonso Martins Nabais
Rui Filipe Marques Ferreira
Tania Andreia Anjos Martins
Tomás da Silva Faria Lampreia Gomes

La Llorona. Ou a Mulher Que Chora. Trata-se de uma horrenda aparição, que se encontra entre o Céu e o Inferno, aprisionada num destino terrível que ela própria originou.  Ainda em vida, num ataque de fúria provocado por ciúmes, La Llorona afoga os próprios filhos num rio revoltoso, lançando-se de seguida atrás deles. Quem ouvir o seu choro, durante a noite, ficará amaldiçoado.

La Llorona persegue crianças, numa tentativa desesperada de substituir as suas. Ignorando o inquietante alerta de uma mãe perturbada que se suspeita maltratar os filhos, uma assistente social e a sua família depressa se veem envolvidos num assustador mundo sobrenatural. A única esperança de escapar à sua cólera mortífera parece estar nas mãos um padre desiludido e do misticismo que pratica para manter o mal à distância. Mas nada a demoverá da sua missão de os arrastar até à penumbra.

O filme foi produzido por Emile Gladstone, Gary Dauberman (“IT” e “Annabelle”) e James Wan (do universo de “The Conjuring”). Michael Chaves, vencedor da melhor curta-metragem no Festival Shriekfest’s 2016 com “The Maiden”, assina aqui a realização da sua primeira longa-metragem.

Conta ainda com as interpretações de Linda Cardellini (“Bloodline” da Netflix, “Vingadores: A Era de Ultron”); Raymond Cruz (da série “Major Crimes”); Patricia Velasquez (da série “A Letra L” e da saga “A Múmia”); e Marisol Ramirez (da série “Investigação Criminal: Los Angeles”). O elenco inclui ainda Sean Patrick Thomas (dos filmes “A Barbearia” e “Halloween: A Ressurreição”), Jaynee-Lynne Kinchen (“Outro/EU”) e Roman Christou, no seu primeiro papel.

Michael Chaves realizou o filme a partir de um argumento desenvolvido por Mikki Daughtry e Tobias Iaconis. Nos bastidores, o trabalho foi assegurado pelo diretor de fotografia Michael Burgess, a diretora de arte Melanie Jones, o montador Peter Gvozdas e a responsável de guarda-roupa, Megan Spatz. A música ficou a cargo de Joseph Bishara ( “Annabelle” e “The Conjuring”).

“A Maldição da Mulher Que Chora” estreia nos cinemas a 18 de Abril.

Temos 20 convites para a antestreia:

10 convites duplos
Lisboa – Cinema NOS, Colombo – Dia 17 de Abril, às 21:30h

10 convites duplos
Porto – Cinema NOS, Marshopping –Dia 17 de Abril, às 21:30h

Podes participar até às 12h de dia 16 de Abril.

Para participares só tens de
-Preencher o formulário abaixo
-Partilhar publicamente esta publicação:

*link da publicação no facebook*

Verifica as regras do passatempo aqui: http://8dot5bits.com/regulamentos/

PASSATEMPO TERMINADO

Os vencedores serão anunciados em breve.

NO CINEMA A 18 DE ABRIL

#MaldiçãoDaMulherQueChora

© 2019 Warner Bros. Ent. All Rights Reserved

O envio da listagem de vencedores para os cinemas é da responsabilidade do distribuidor do filme sendo o 8.5Bits apenas promotor do passatempo. 
Em situações extraordinárias, os vencedores poderão contactar-nos via mensagem privada no Facebook.

 

Scroll to top