Teste a ‘Loading Human’

Loading Human: Chapter One é um jogo em realidade virtual disponível para PC e PS4, com recurso ao Playstation VR no caso da PS4, e compatível com Oculus Rift, HTC Vive e OSVR no caso da versão de PC, disponível no Steam. Tem um formato episódico, tal como é sugerido pelo título, misturando um bom argumento de ficção científica situado no século XXII. Este primeiro capítulo apresenta as fundações da história a contar. Controlamos Prometeu, a quem o seu pai moribundo chama até uma base de pesquisa na Antártida, com uma missão: viajar até aos confins do espaço para encontrar a Quintessência, a mais poderosa fonte de energia do universo, que permitirá reverter o envelhecimento do pai de Prometeu e salvar-lhe a vida.

Se o ambiente e argumento geram interesse no jogador, a sensação de imersão neste mundo de realidade virtual é também bastante bom. Os vídeos que apresentamos nesta análise nunca poderão fazer justiça ao que vemos com o PS VR posto, isto no caso da versão que testámos. Os gráficos, infelizmente, sofrem um pouco com a pressão causada pela renderização em realidade virtual, mas cumprem a sua função. Os objetos e personagens parecem vivos, parecem estar diante de nós, inclusivamente podemos ver com nitidez a transparência de copos de vidro como se estivessem à nossa frente. O facto de podermos usar os comandos PS Move ajuda também à imersão, mas não é livre de problemas, como veremos já em seguida, pois, lamentavelmente, Loading Human tem algumas falhas bastante graves que comprometem bastante uma experiência que poderia ser interessante e inovadora. Em primeiro lugar, os controlos são no mínimo estranhos, isso se usarmos os PS Move; se usarmos o Dualshock 4, são simplesmente horríveis. Não se consegue entender qual foi o critério para os programadores escolherem um esquema de controlos tão mau, mas perde-se completamente a sensação de estarmos noutro mundo quando ações como andar até uma prateleira e apanhar uma lanterna são tão difíceis como resolver um dos quebra-cabeças do jogo.

Outra falha a apontar são os muitos momentos mortos do jogo. Ou melhor, o jogo em si parece ser apenas uma sequência de momentos mortos, pois as constantes pausas na narrativa para nos deslocarmos para outras localizações, controlando uma personagem que anda “a pisar ovos”, como se diz no léxico da sabedoria popular, chega a ser desesperante. Ainda por cima, sentimo-nos frequentemente perdidos, pois a ausência de qualquer tipo de HUD ou mapa, aliada a um sistema de dicas um bocado vago, fazem-nos arrastarmo-nos pelos mesmos corredores vezes sem conta.

Em conclusão, Loading Human: Chapter 1 poderia ter sido um dos grandes jogos do lançamento do PS VR. Poderia, mas não o é por causa de detalhes que arruínam toda a experiência. Como se não bastasse, é até bastante caro para um jogo em formato episódico (39,99€). Como experiência em realidade virtual, não é nada mau; como videojogo, deixa algo a desejar. No entanto, se se sentem dispostos a aguentar os maus controlos em troca de uma experiencia noutra realidade, com um argumento interessante, Loading Human: Chapter 1 pode ser uma boa compra.

Pedro Moreira é Reviewer no 8.5Bits | twitter @morenho27 | pedromoreira@8dot5bits.com

Scroll to top